CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
PROF. BIRCK JUNIOR, O POETA ARRETADO
QUEM NÃO É SOL AOS PRÓPRIOS OLHOS, NÃO PODE SER ESTRELA AO OLHAR DOS OUTROS!
Textos


O LEÃO O CASCAVEL O SAPO
E O COELHO
 

(Saudoso Felix Duque – um velho amigo
Negro analfabeto e sábio)
 
 
       Era uma vez um leão, um cascavel e um sapo que moravam na mesma casa. Os três amigos eram muito unidos. Acontece que muito longe dali vivia um coelho com a família sem moradia. A mulher do coelho a dona coelha vivia enchendo o saco e torrando a paciência do nosso coelho dizendo:

        - Olha coelho: a bicharada toda tem uma casa para morar, mas você é o único que não tem uma toca para se esconder. Você é um preguiçoso, uma vida mansa, um folgado é que você é... O João de Barro tem até uma casinha de barro no arvoredo, o tatu bola tem um buraco na floresta, o sabiá tem um ninho, o morcego tem uma caverna e os homens têm uma morada de madeira. Então, o coelho ficou muito aborrecido com a esposa e lhe disse:

        - Olha mulher: eu não tenho uma casa porque eu não quero. Na hora que eu quiser eu consigo. Ai a dona coelha lhe respondeu:
        - Eu pago pra ver! Você não tem nem coragem de trabalhar? Quanto mais de adquirir um casebre? 
 
        Ouvir isso foi á gota d’água que o amigo coelho esperava. Pegou um bornal, colocou as suas coisas e saiu mundo a fora... Andou, andou e andou mais até que chegou a noite e ele não tinha onde se agasalhar para dormir. Foi ai que ele viu uma fogueira acesa em uma toca e resolver pedir uma noitada. A toca era do amigo leão, do amigo cascavel e do amigo sapo. Então, o coelho bateu na porta de bananeira e pediu uma dormida ao sapo:

        - Amigo sapo: eu posso passar uma noite aqui com você? O sapo, então, lhe respondeu:
        - Por mim tudo bem, amigo coelho. Agora você tem que ver se o amigo leão e o amigo cascavel também lhe aceitam aqui? O amigo cascavel que estava em casa lhe respondeu:

        - Não vejo nenhum problema em lhe aceitar entre nós. Agora você tem que ver se o amigo leão também lhe quer aqui? Mais tarde quando o leão chegou á toca veio logo á notícia dada pelo sapo:
        - Olha amigo leão: esse é o amigo coelho que deseja passar uma noite entre nós. Eu e o amigo cascavel concordamos sem nenhum problema. Afinal de contas uma noite só é pouco tempo e não vai nos custar nada. E se a gente um dia estiver no lugar dele, também vai querer ser aceito por um desconhecido em sua moradia. O leão, então lhe respondeu:
        - Por mim tudo bem, pode dormir.
 
        Todos sabem da fama do nosso amigo coelho. Nos bastidores da floresta o coelho é tido como o mais esperto, o mais sagaz, o mais ardiloso e o mais astuto dos bichos. O coelhinho põe no bolso a onça, o macaco e os demais animais. Digamos que o coelho seja o político dos nossos dias entre a bicharada. Então, os amigos o leão, o cascavel, o sapo e o coelho se reuniram em volta de um foguinho no meio da toca. Tudo estava muito bem... Até que o coelho começou a resenhar e pegar no pé do sapo:

        - Eu acho que o amigo leão é homem, o amigo cascavel também é homem, mas o amigo sapo? Deixa a duvidar! Sei não! Ele tem uns pulinhos meio boiola! Esse jeito dele não me engana!  O sapo então, lhe respondeu:
        - Que é isso amigo, coelho? Eu lhe dei hospedagem e agora você me paga com essa prosa ruim?
       O coelho fingiu que não escutou nada e começou de novo a arreliar o sapo: 
        - Eu penso que o amigo cascavel é homem, o amigo leão também é homem, mas o amigo sapo? Sei não! Tem uns trejeitos de uma bicha da cidade em cima do formigueiro!Esse pulinho dele não me engana...
 
        Quando o coelho foi infernizar pela terceira vez o pobre do sapo? Esse perdeu a paciência e tentou da uns murros no coelho, mas ele se desviou do golpe e o murro pegou na fuça do leão... O leão muito irado deu um tabefe no sapo que lhe arrancou a cabeça inteira. Acontece que no meio da briga sobrou também para o cascavel. Quando o leão foi esquartejar o sapo, acabou pisando na espinha dorsal da cobra que imediatamente lhe deu uma picada fatal que o matou. O cascavel ainda meio zonzo, atordoado, meio grogue pelo pisoteio do leão, pediu que o coelho lhe ajudasse a se estirar mais, a fim de lhe curar os ferimentos. Percebendo a malicia da víbora o coelho pegou um porrete grosso e terminou de matar ao cascavel.
 
      No outro dia, o coelho estava sozinho em uma larga toca confortável, graças a sua astucia e sagacidade. Retornou ao antigo lugar e pegou a dona coelha e os filhinhos e foram viver ali.
 
       O coelho nos mostrou que a astúcia, a esperteza e a lábia, ás vezes supera a força e o poder facilmente. Não tem nenhum Sansão, que não caia aos pés de uma Dalila!  
      
        “Entrou por um pé de pato
        E saiu pelo um pé de pinto. 
        Manda ao rei o meu senhor,
        Que me contasse mais cinco”!     

 
DO LIVRO: CONTOS DE BICHOS PARA CRIANÇAS
DO POETA BIRCK JUNIOR   
 
Birck Junior
Enviado por Birck Junior em 09/05/2019
Alterado em 09/05/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários