CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
PROF. BIRCK JUNIOR, O POETA ARRETADO
QUEM NÃO É SOL AOS PRÓPRIOS OLHOS, NÃO PODE SER ESTRELA AO OLHAR DOS OUTROS!
Textos


SALVE AO DIA DAS CRIANÇAS 
               12 DE OUTUBRO 


Antigamente a nossa criançada
Brincava com muita emoção.
"De trinta e um é este" na calçada,
Jogava bola e rodava ao pião!
 
Era o primo, o tio e a parentada,
Que tomavam ao banho de rio. 
Fazia carro de lata de óleo furada
E as rodas de havaianas do tio!

Nossa mocinha jogava a “peteca”
E de “baleado” com a meninada. 
Algumas moças tinham bonecas
E faziam suas roupas bordadas!
 
Os meninos trepavam na jaqueira,
Para se colher uma jaca gostosa!
Outros escalavam uma goiabeira
E recolhiam uma goiaba deliciosa!


Pulavam-se muita corda no terreiro,
Começando devagar até o foguinho.
Quem se atrapalhasse por primeiro?
Dava o lugar ao próximo amiguinho!

Brincavam-se também de se esconder,
Para testar bastante a sua curiosidade. 
O ultimo que viesse se mostrar a você?
Encarregava-se de procurar a mocidade! 
 
Brincava-se muito de “roda” se fazer
E colhia nos seus pés nossa batatinha. 
Se lhe pedisse um pedaço para comer?
Nem pro meu avô! Dizia a coleguinha!
 

Brincava-se com nosso barro umedecido,
Fazendo com ele o radio e nossa panela.
Brincar com nosso barro era bem divertido, 
Pois se fazia qualquer coisa inclusive tigela! 


Brincava-se de fazer casa e comidinha, 
Pois tudo era um ensaio de mentirinha!
A gente brincava com a colega vizinha
E cada um ajudava com aquilo que tinha!
 
Contava-se muita estória de cordel,
Como a de nosso “Juvenal e o Dragão”!
Também se brincava com aquele anel,
Que se escondia na palma da sua mão!
 
Um velhinho contava muita estorinha,
De onça com bode, de coelho com sapo!
A juventude escutava muito quietinha,
E curiosa pelo final ficava estupefato!

Uma criança gorda ou obesa não se via,
Pois nossa criançada não comia porcaria!
Nem pão, nem hot-dog ou Coca se bebia!
O suco era da fruta que no pé se colhia!
 
Criança andava descalça rolava na lama,
E pegava anticorpos para lhe proteger!
Deitava no chão em cima de uma esteira,
Depois que de uma “rede” foi descer!
 
Ainda não se tinha a ditadura da televisão,
Podando o bate papo alegre da rapaziada.
O pessoal se reunia em volta de um fogão
E bebia um gole de café com prosa atada!
 
Depois veio esse advento do computador
E com a internet a febre das redes sociais.
A conversa legal ficou virtual, meu senhor,
E um dedo de prosa a gente não quer mais!


DÊ UM BRINQUEDO A CRIANÇA E VOCÊ
ESTARÁ PODANDO A CRIATIVIDADE DELA. 

BOTE A CRIANÇA PARA ASSISTIR TEVÊ
E VOCÊ ESTARÁ IDIOTIZANDO AO BEBÊ! 

A SOCIEDADE BURRA TRANSFORMA TODO
GENIO DA CRIANÇA EM UM ASNO IMBECIL!   
 


POETA BIRCK JUNIOR
- CONTOS DE BICHOS PARA CRIANÇAS. 


 
Birck Junior
Enviado por Birck Junior em 12/10/2019
Alterado em 12/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários