BIRCK JUNIOR, UM POETA FORA DA CURVA
SE QUISER VOAR ANDE COM ÁGUIAS AO INVÉS DE GALINHAS
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
SALVE AO DIA DAS CRIANÇAS 
               12 DE OUTUBRO 


Antigamente a nossa criançada
Brincava com muita emoção.
"De trinta e um é este" na calçada,
Jogava bola e rodava ao pião!
 
Era o primo, o tio e a parentada,
Que tomavam ao banho de rio. 
Fazia carro de lata de óleo furada
E as rodas de havaianas do tio!

Nossa mocinha jogava a “peteca”
E de “baleado” com a meninada. 
Algumas moças tinham bonecas
E faziam suas roupas bordadas!
 
Os meninos trepavam na jaqueira,
Para se colher uma jaca gostosa!
Outros escalavam uma goiabeira
E recolhiam uma goiaba deliciosa!


Pulavam-se muita corda no terreiro,
Começando devagar até o foguinho.
Quem se atrapalhasse por primeiro?
Dava o lugar ao próximo amiguinho!

Brincavam-se também de se esconder,
Para testar bastante a sua curiosidade. 
O ultimo que viesse se mostrar a você?
Encarregava-se de procurar a mocidade! 
 
Brincava-se muito de “roda” se fazer
E colhia nos seus pés nossa batatinha. 
Se lhe pedisse um pedaço para comer?
Nem pro meu avô! Dizia a coleguinha!
 

Brincava-se com nosso barro umedecido,
Fazendo com ele o radio e nossa panela.
Brincar com nosso barro era bem divertido, 
Pois se fazia qualquer coisa inclusive tigela! 


Brincava-se de fazer casa e comidinha, 
Pois tudo era um ensaio de mentirinha!
A gente brincava com a colega vizinha
E cada um ajudava com aquilo que tinha!
 
Contava-se muita estória de cordel,
Como a de nosso “Juvenal e o Dragão”!
Também se brincava com aquele anel,
Que se escondia na palma da sua mão!
 
Um velhinho contava muita estorinha,
De onça com bode, de coelho com sapo!
A juventude escutava muito quietinha,
E curiosa pelo final ficava estupefato!

Uma criança gorda ou obesa não se via,
Pois nossa criançada não comia porcaria!
Nem pão, nem hot-dog ou Coca se bebia!
O suco era da fruta que no pé se colhia!
 
Criança andava descalça rolava na lama,
E pegava anticorpos para lhe proteger!
Deitava no chão em cima de uma esteira,
Depois que de uma “rede” foi descer!
 
Ainda não se tinha a ditadura da televisão,
Podando o bate papo alegre da rapaziada.
O pessoal se reunia em volta de um fogão
E bebia um gole de café com prosa atada!
 
Depois veio esse advento do computador
E com a internet a febre das redes sociais.
A conversa legal ficou virtual, meu senhor,
E um dedo de prosa a gente não quer mais!


DÊ UM BRINQUEDO A CRIANÇA E VOCÊ
ESTARÁ PODANDO A CRIATIVIDADE DELA. 

BOTE A CRIANÇA PARA ASSISTIR TEVÊ
E VOCÊ ESTARÁ IDIOTIZANDO AO BEBÊ! 

A SOCIEDADE BURRA TRANSFORMA TODO
GENIO DA CRIANÇA EM UM ASNO IMBECIL!   
 


POETA BIRCK JUNIOR
- CONTOS DE BICHOS PARA CRIANÇAS. 


 
Birck Junior
Enviado por Birck Junior em 12/10/2019
Alterado em 12/10/2019
Comentários